Fast Food - Burgers, French Fries and Chicken Nuggets - Transfat

April 04,2019

Felipe Guerreiro

Gordura Trans: Restrições de uso & Soluções para substituição

Gordura Trans: O que é? 

Atualmente, as gorduras trans são utilizadas pela indústria alimentícia para garantir a textura e crocância dos alimentos, além de aumentar a validade de certos produtos industrializados como biscoitos, margarinas e sorvetes. O processo industrial para a obtenção dessa gordura é realizado a partir da transformação de óleos em gordura sólida e consistente, pelo processo de hidrogenação industrial. 

Seus efeitos na saúde

Sabidamente, o processo descrito acima geram gorduras que elevam os riscos de doenças cardiovasculares. Entre os malefícios e danos das gorduras trans ao organismo está a redução nos níveis de colesterol bom (HDL) e o aumento nos níveis do colesterol “ruim” (LDL). Defensores da saúde dizem que a gordura trans é a mais prejudicial à saúde pois desempenham um papel decisório em mais de 500 mil mortes em todo o mundo, a cada ano, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

O consumo brasileiro 

Dados recentes levantados pela Anvisa indicam que, mesmo com a redução desse tipo de gordura nos últimos anos, o consumo continua alto no Brasil. A OMS (Organização Mundial de Saúde) recomenda que o consumo diário de gordura trans não ultrapasse 1% do valor energético total de uma dieta, ou seja, não mais do que 2 g por dia em uma dieta de 2000 calorias. No Brasil, o consumo gira em torno de 1,4%, podendo chegar a 2,5% em alguns grupos. 

Mudanças no setor 

Desde de 2003, os rótulos de alimentos do Brasil exigem a declaração de gorduras trans, de acordo com a  RDC nº 360/2003.  Algumas medidas para reduzir a utilização das gorduras trans estão em discussão na ANVISA, que tem buscado formas de restringir e até proibir essa substância em alimentos. A votação para mudanças nas normas está prevista para 2019 de acordo com a Agenda Regulatória de discussões publicada pela ANVISA.

Hoje, ao menos 27 países já possuem normas para diminuir ou eliminar o consumo de gordura trans nos alimentos. Isso mostra que a restrição é possível. Apesar de maior enfoque nos alimentos industrializados, técnicos da agência afirmam que estão buscando meios para que a restrição também seja ampliada a restaurantes e redes de fast food, para que haja uma redução mais efetiva no consumo dessa gordura no país.

Segundo a ABIA (Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação), parte do setor já participava de acordos com o Ministério da Saúde para diminuir de forma voluntária esse percentual. 

0% Transfat

REPLACE Transfat

Em 2018, a OMS lançou um guia intitulado REPLACE, o qual trás as seguintes ações para eliminar os ácidos graxos trans industriais das formulações de alimentos:

  • REvisar fontes alimentares com gordura trans produzidos industrialmente e o panorama para as mudanças políticas necessárias.
  • Promover a substituição de gorduras trans produzidas industrialmente por gorduras e óleos mais saudáveis.
  • Legislar ou promulgar ações regulatórias para eliminar gorduras trans produzidas industrialmente.
  • Avaliar e monitorar o teor de gorduras trans no suprimento de alimentos e mudanças no consumo de gordura trans entre a população.
  • Conscientizar sobre o impacto negativo na saúde das gorduras trans entre formuladores de políticas, produtores, fornecedores e o público.
  • Estimular a conformidade de políticas e regulamentos.

Como a Kemin pode te ajudar a reduzir o consumo de gordura trans? 

Na maioria dos casos, as gorduras hidrogenadas ou parcialmente hidrogenadas, as quais são fonte de gorduras trans, podem ser substituídas por óleos ou gorduras mais saudáveis, como óleo de girassol e a gordura de palma. Nestes casos, para manter o produto com estabilidade oxidativa similar a encontrada anteriormente, se faz necessário a adição de um antioxidante.

Nesse sentido, a Kemin pode te auxiliar a substituir a gordura trans do seu rótulo com diversas soluções antioxidantes, como antioxidantes naturais e clean-label!

 

Referências

Portal ANVISA: http://portal.anvisa.gov.br/

OMS: https://www.who.int/nutrition/topics/replace-transfat/

Jornal - Folha de São Paulo: https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2019/01/anvisa-mira-redes-de-fast-food-em-restricao-a-gordura-trans.shtml