Você está visualizando América do Sul

New Banner Blog

Qualidade do alimento para animais de companhia: Compreendendo as Aminas Biogênicas

Publicado December 08, 2021 por By Kemin Nutrisurance
Compartilhar

O que são Aminas Biogênicas?

As aminas biogênicas são compostos formados durante as funções metabólicas normais de plantas e animais. 1Muitas aminas desempenham papéis importantes nas funções fisiológicas humanas e animais, 2,3mas um alto acúmulo de aminas biogênicas ingeridas através de alimentos pode se tornar um perigo para a saúde.4

Formação de Aminas Biogênicas em Alimentos

Nem todas as aminas biogênicas têm efeitos tóxicos e a toxicidade pode variar de acordo com a pessoa ou animal afetado. Algumas aminas são encontradas naturalmente em alimentos humanos, incluindo carne, peixe, queijo, vinho, cerveja e alimentos fermentados.1 No entanto, altos níveis de aminas biogênicas nos alimentos podem indicar deterioração microbiana.5

How Biogenic Amines Are Formed_small-1

Uma vez que as aminas biogênicas são formadas, elas são estáveis ao calor e não podem ser destruídas por métodos de processamento, como cozimento, panificação ou enlatamento.6 Histamina, tiramina, cadaverina, putrescina, espermina e espermidina são aminas biogênicas com efeitos potenciais de toxicidade em animais quando ingeridas em doses elevadas.

Toxicidade de Aminas em Cães e Gatos

Mesmo após séculos de domesticação, cães e gatos mantêm perfis genéticos semelhantes aos de seus ancestrais canídeos e felinos selvagens. Não é incomum para canídeos e felinos selvagens vasculhar carcaças decompostas ou estragadas. Devido a isso, parece que eles desenvolveram mecanismos adaptativos para metabolizar e desintoxicar aminas biogênicas, e cães e gatos domésticos ainda podem manter alguns desses mecanismos.7

Existe uma escassez de literatura avaliando o efeito preciso das aminas biogênicas em cães e gatos devido a razões éticas. No entanto, estudos demonstraram que níveis elevados de aminas biogênicas podem causar intoxicação alimentar e efeitos prejudiciais à palatabilidade e nutrição. Os fabricantes de alimentos para animais de companhia devem controlar a formação de aminas biogênicas em matérias-primas e produtos acabados para evitar efeitos prejudiciais.

Segurança Alimentar de Animais de Companhia: Como Controlar Aminas Biogênicas

Para avaliar o frescor do produto, os fabricantes de alimentos para animais de companhia podem usar o Índice de Aminas Biogênicas.8 Esse índice mostra o conteúdo de aminas biogênicas em um produto alimentício e pode ser usado para indicar frescor ou deterioração.

BAI_small-2

A Kemin recomenda os métodos abaixo para evitar a formação de aminas biogênicas e promover o frescor dos alimentos para animais de companhia:

  • Use ingredientes de qualidade:
    A qualidade de um alimento para  animais, ou outra fonte de proteína animal, depende em grande parte do frescor do subproduto animal antes de ser processado. O tempo entre a coleta e a renderização deve ser o mais curto possível.  
  • Use armazenamento refrigerado para prevenir o crescimento microbiano:
    O armazenamento refrigerado pode prevenir o crescimento microbiano em produtos que são frescos, mas se um produto suportar altas temperaturas antes do congelamento, aminas podem-seformar mesmo mesmo depois de resfriados.
  • Pratique uma boa higiene:
    Certifique-se de que os equipamentos de transferência e processamento são mantidos em condições higiênicas para reduzir a carga microbiana.
  • Use tratamentos de controle de frescor para prevenir a deterioração microbiana:
    ALLINSUR™ FS demonstrou controlar com eficácia a formação de aminas biogênicas em matérias-primas. Clique aqui para saber mais sobre ALLINSUR.

Subscribe to the Kemin Nutrisurance Blog:

References

1.       Ruiz-Capillas C. and Herrero A.M. (2019). Impact of biogenic amines on food quality and safety. Foods. 8: 1-16.

2.       Ten Brink B., Damink C., Joosten H.M.L.J., Huis in’t Veld J.H.J. (1990). Occurrence and formation of biologically active amines in foods. International Journal of Food Microbiology. 11: 73-84.

3.       Kalač P. (2006). Biologically active polyamines in beef, pork and meat product: A review. Meat Science. 73: 1-11.

4.       Bardócz S. (1995). Polyamines in food and their consequences for food quality and human health. Trends in Food Science & Technology. 6: 341-346.

5.       Triki M., Herrero A.M., Jiménez-Colmenero F., Ruiz-Capillas C. (2018). Quality assessment of fresh meat from several species based on free amino acid and biogenic amine contents during chilled storage. Foods. 7: 132-148.

6.       Hui Y.H. (2006). Handbook of food science, technology, and engineering. Volumes 1-4. 3618p.

7.       Kim K.S., Backus B., Harris M., Rourke P. (1969). Distribution of diamine oxidase and imidazole-N-methyltransferase along the gastrointestinal tract. Comparative Biochemistry and Physiology. 31: 137-145.

8.       Mietz J.L., Karmas E. (1978). Polyamine and histamine content of rockfish, salmon, lobster, and shrimp as an indicator of decomposition. Journal - Association of Official Analytical Chemists. 61: 139-145.